A Floresta da Morte (3/4) - Pedro Pereira

Os trabalhadores regressaram na manhã seguinte, mas negavam-se a trabalhar enquanto o gigantesco lobo andasse em liberdade na floresta. Ninguém se queria arriscar a ser a próxima vítima. 

Perante as reivindicações dos trabalhadores, Dimitri convencera Ivan de que não tinha outro remédio senão chamar um grupo de caçadores furtivos. Tratava-se de um grupo de ex-militares, os compinchas de copos de Dimitri, que tal como o colega, eram encorpados e de cabelo cortado à escovinha. 

– Tens a certeza de que isto é boa ideia? – questionou Ivan ao lançar um novo olhar aos quatro indivíduos. 

– Não te preocupes, eles tratam do serviço – assegurou Dimitri. 

– Disso eu não duvido… Pensei que tinhas falado em caçadores, não em mercenários. 

Um dos homens começou a distribuir armas de fogo de grande calibre pelos companheiros. De certeza que não podiam ser legais. 

– Era uma urgência e tu querias os melhores. Aqui os tens. 

– Vocês os dois, então prontos ou quê?! – chamou um dos homens. 

– Mais que prontos, Boris – respondeu Dimitri. – Fica perto de mim. 

Apesar de a ideia não lhe agradar, Ivan acabou por concordar. Para os trabalhos recomeçarem tinha de se ver livre do lobo, e aqueles tipos pareciam ser a solução mais rápida. 


*** 


Ivan perdeu por completo a noção do tempo e da distância que já haviam percorrido no interior da floresta. Munido de uma faca de mato, Boris liderava o grupo e abria caminho por entre a vegetação enquanto seguia o rasto do lobo. 

– Raios! – protestou Boris. 

– O que se passa? – questionou Ivan. 

– O rasto do lobo desaparece aqui… 

O grupo estava junto a uma enorme árvore, numa zona com pouca vegetação. 

– Desaparece como?! Estamos numa zona praticamente sem vegetação e você disse que o rasto estava fresco! 

– Eu sei o que disse! 

– Boris, isto não tem lógica nenhuma – concordou Dimitri. – Ele teve de ir para algum lado. 

Uma estranha sensação na parte de trás da nuca fez Ivan olhar para cima. O seu coração gelou. Lá estavam aqueles aterradores olhos amarelos. 

Num abrir e fechar de olhos, o enorme lobo saltou do topo da árvore e lançou-se sobre o grupo. O predador acabara de virar presa…


Parte 4:
Parte 2:
Parte 1:

0 comentários:

Publicar um comentário